TCHAU - Trabalhar, Cooperação, Humanidade, Amor, União

Parceiros

Organização

 

 

A Fundação Dom Avelar Brandão Vilela é uma associação brasileira sem fins econômicos e lucrativos, que tem como objetivo:

- Promover a evangelização no âmbito da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, através, inclusive, de meios de comunicação social, cujo funcionamento poderá financiar;

- Favorecer o desenvolvimento integral da pessoa humana, a partir de uma ação social, cultural e assistencial;

- Propiciar contributo financeiro s paróquias e entidades assistenciais ou catequéticas católicas, sediadas na jurisdição da Arquidiocese de São Salvador da Bahia;

- Assegurar arrimos outros, a critério do seu presidente, ad-referendum do Conselho Superior.

A Fundação Dom Avelar Brandão Vilela foi constituída em 22 de dezembro de 1897, por Dom Frei Lucas, Cardeal Moreira Neves O. P., Arcebispo de São Salvador da Bahia Primaz do Brasil, registrada no Cartório do 2º Ofício de Registro de Pessoas Jurídicas de Salvador- BA, em microfilme sob n.º 2234, em 29 de fevereiro de 1998.

 

Experiência em projetos de cooperação e parcerias

A Fundação Dom Avelar Brandão Vilela tem ampla experiência na realização sociais, assistenciais e culturais no território de jurisdição da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, tendo implementado, em varias comunidades com altos índices de vulnerabilidade social e em varias paroquias, projetos focados na promoção humana e assistência social com atividades como por exemplo: promoção do protagonismo juvenil, promoção de bandas sinfônicas, implementação de creches, pré-escolas e escolas de 1º grau, além de postos de saúde e oferecimento de cursos de qualificação profissional.

A concepção da Fundação Dom Avelar Brandão Vilela junto às comunidades tem como referência as redes de compromissos cívicos e religiosos, as normas de confiança mútua e a riqueza do tecido associativo enquanto fatores fundamentais da promoção humana.

Os fatores de ordem institucional, social e cultural, e também a comunicação entre indivíduos e atores sociais com apoio de veículos de comunicação social próprios da Fundação, viabilizam o estabelecimento de melhores formas de interação social e redução dos dilemas da ação comunitária.

 

O modelo de atuação adotado pela Fundação ma implementação, acompanhamento e avaliação dos projetos dentro das comunidades é baseado num processo pedagógico de autonomia comunitária, que considera a "interação do desenvolvimento da evangelização e ação social".

Gerenciamento de projetos

Servizio Gabinetto del Presidente della regione e degli Affari istituzionali

Diretor:
ing. Mariolga Mogavero

Project Manager e Coordenador:
avv. Mario Ialenti

Project Manager Administrator:
dr. Adolfo Fabrizio Colagiovanni

Login

O projeto TCHAU - Trabalhar, Cooperação, Humanidade, Amor, União pretende contribuir ao desenvolvimento social da população da cidade de Salvador da Bahia e a fortalecer suas políticas sociais dentro da sociedade civil, através a constituição de uma rede entre organizações sem fins lucrativos e autoridades locais brasileiras e italianas.

O projeto visa favorecer um aumento de 30% do nível de emprego entre os jovens nesta área, estimulando a emancipação econômica de jovens em situação de vulnerabilidade, e promovendo a participação e a sensibilização de 40.000 cidadãos dos dois bairros, Boca do Rio e Acupe de Brotas, em Salvador da Bahia, relativamente as iniciativas tomadas e sobre as temáticas sensíveis abrangidas pelo projeto.

O projeto TCHAU - Trabalhar, Cooperação, Humanidade, Amor, União visa implementar, apoiar e desenvolver um centro poli-funcional na cidade de Salvador de Bahia, capital do Estado de Bahia, precisamente dentro do bairro Boca do Rio, no centro paroquial S. Francisco d’Assis, onde desenvolver atividades formativas e educativas para jovens em situação de vulnerabilidade social, econômica e com necessidades especiais. O projeto mira envolver nas atividades pelo menos 60% dos jovens que habitualmente freqüentam o centro paroquial S. Francesco d’Assis, com uma inserção no mundo do trabalho de pelo menos 50% dos jovens formados. 20% dos jovens são encaminhados para participarem de algum espaço de participação (Rede de Combate, Encontro Estadual de Juventude, Fóruns DCA e outros).